Notícias

Novos sítios arqueológicos são descobertos na Região Oceânica

 

CPI pede fim da concessão da Enel em Niterói

 

É lançado, em Niterói, livro sobre a História do SUS

 

 

Niterói em cartões postais: para vê-los, clique aqui.

 

Niterói em fotos antigas: clique aqui.

 

 

 

Breve Histórico da Cidade

Praça Martim Afonso e a Estação das Barcas (1957). Nota-se o uso do bonde e de trólebus.
Praça Arariboia e a Estação das Barcas (1957). Nota-se o uso do bonde e de trólebus.

Data em que o cacique Arariboia tomou posse de suas terras nas margens da baía de Guanabara. Atualmente, a data é considerada a da fundação da antiga capital do Estado do Rio, a cidade de Niterói. Além disso, Niterói seria a única cidade do Brasil fundada por um índio.
No contexto dos conflitos entre portugueses e terminós contra a coligação dos franceses e tamoios pelo controle da baía de Guanabara na segunda metade do séc. XVI, a união luso-terminó venceu, tendo tido atuação destacada vários personagens, como o governador-geral do Brasil, Mem de Sá (estabelecido em Salvador), seu sobrinho, Estácio de Sá e o cacique Arariboia, originário da Ilha do Governador, mas expulso pelos tamoios, seus rivais de longa data.
Os portugueses ficaram com as terras que hoje correspondem à cidade do Rio. Na outra margem da baía, Arariboia ganhou sesmaria, que abarca parte das cidades de Niterói e São Gonçalo, tomando posse dela no dia 22 de novembro de 1573. À altura, nenhuma menção ao nome Niterói ou à configuração atual do município, bem como o aldeamento controlado pelo cacique permaneceu sem significativas interações com os diversos núcleos lusos ao instalados na Guanabara: a cidade do Rio de Janeiro e as freguesias de São João de Carahy, São Sebastião de Itaipu e São Gonçalo.

Nos séculos seguintes, a área da Praia Grande (hoje parte da área central de Niterói, à época, parte da cidade do Rio) desenvolveu-se, inclusive, uma vez no Brasil, D. João chegou a ter casa na região e, em 1819, a elevou à categoria de Vila Real.

Anos depois, durante à regência (1831 – 1840), quando é criado o município neutro da corte, a região da Praia Grande é separada da capital do Império e, em 1835, ganhou o nome tupi Nictheroy, a tornar-se, ainda, a capital da província do Rio de Janeiro. Com o advento da Repúbllica, a cidade foi por longo tempo capital do Estado do Rio.

Durante o regime militar (1964 – 1985), o governo federal uniu os Estados do Rio de Janeiro (com capital em Niterói) e da Guanabara (com capital na cidade do Rio), no que ficou conhecido pelos habitantes da região como “a fusão”, criando uma nova unidade da federação no território que havia duas: o “novo” Estado do Rio, com capital na cidade do Rio, e quando Niterói deixou de ser capital estadual.
Por fim, voltando à fundação de Niterói, considera-se que a História é construída e reconstruída e, desse modo, estabeleceu-se, na municipalidade, que Arariboia foi o seu fundador e que a data em que o cacique tomou posse das terras, 22 de novembro, seria a da fundação da cidade.

 

 

 

 

Niterói, 450 anos de História

Confira os bate-papos realizados pela Revista Tema Livre dedicados à História de Niterói.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Acompanhe o “Tudo Sobre Niterói” nas redes sociais:

 

Instagram

 

Facebook

 

Telegram

 

Participe dos grupos/canais do Telegram:

  • Revista Tema Livre (conhecimento e cultura): clique aqui.

 

  • Icaraí, Ingá, Boa Viagem, Sta Rosa, Gragoatá e Centro: basta clicar aqui.

 

Facebook: participe do grupo Tudo Sobre Niterói clicando aqui.

 

 

Fotos de Niterói: acesse cartões postais da cidade clicando aqui.

 

 

Acesse a seção Notícias da Revista Tema Livre: clique aqui.

 

 

Voltar ao inicio do site